Glorious PC gaming master race vs. dirty console gaming peasants

  • 1
  • 123
  • 124
  • 125
  • 126
  • 127
  • 130

 GAMEXR BR
  •  1371 posts
  •  

    Avatar do usuário

    MGS4 é o MGS definitivo em termos de gameplay (que poderia ter sido muito mais bem utilizado), evoluiu em tudo positivamente do que foi feito no terceiro, e finaliza a série com chave de ouro. No quesito história ele sofre pelas Kojimices padrões e pelo fato que MGS sempre foi de aumentar a complexidade do plot a cada nova iteração, então era uma salada gigantesca para ser solucionada em um único jogo. Tudo que veio depois de MGS4 não apenas não acrescenta em nada para a história da série (Peace Walker, Venom Snake e Parasites) como também vão em direção a um open world com estrutura de missão de joguinho de celular, o pior dos dois mundos.

     E2EK1EL
  •  13396 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Aqui é o tópico do mgs?

     Deep Lying Playmaker
  •  6243 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Sudit escreveu: Penso que o 4 teve uns problemas de produção, talvez Kojima pensou demais e não conseguiu entregar as ideias.

    Uma falha é a camuflagem, era para ser mais complexa, afetar mais o cenário e gameplay, no final ficou simples.

    Um grande problema era as armas, aquilo de nanomachines, acho que a ideia era fazer o jogo bem complexo, que a munição seria mais dificil por essas limitações... Foi resumido de forma porca, se compra munição no menu, para ser assim ruim bastava ser o sistema simples do 3, que se pegava munição e arma pelo cenário, em lugar de uma "loja virtual" com aquele negro chato do macaquinho.

    Outro problema é o sistema de rebeldes, deveria ser um ponto forte no jogo, mas aparece apenas alguns cenários de forma bem simples.
    Inicio de um ato, não lembro quem se passando pelo Snake mata não lembro quem, a ideia claramente era passar que o Snake ia ser perseguido pelos rebeldes... e fica por isso mesmo. Apenas a ideia, não é implementada e muito menos interfere na história essa cena.

    Acho que o plano do kojimão foi grande demais para o jogo, o grande problema que ele deixou as ideias e parte da estrutura incompleta no jogo. Se fosse para deixar assim, teria sido melhor retirar tudo e deixar o sistema comum usado no 3, que era muito melhor.


    Graficamente o jogo foi foda demais, as cutscenes eram incriveis, old snake era muito legal (mesmo que cagaram bastante no desenvolvimento dele), o gameplay era fantastico.
    Mas é um jogo incompleto...
    Quem sabe um dia lançam um remake que tenha o dobro de cenário, arrumem todas as cagadas, arrumem a estrutura do game, retirem parte dos personagens chatos, coloquem mais bosses em cenários mais interessantes, e assim vire goty da humanidade.
    Muito do que você falou foi confirmado pelo próprio Kojima

    Ele diz ter se decepcionado com o poder do PS3 (além da dificuldade de programar)

    Então o escopo grandioso do 4 foi drasticamente diminuído. Só ver os primeiros trailers do jogo

    A ideia era poder jogar o jogo 100% como um FPS, de tão intenso que seria o campo de batalha

    E mais, aconteceu a mesma coisa com o 3. O Kojima disse que não queria fazer Snake Eater no PS2. Mas o PS3 estava demorando muito para sair, então ele mudou de ideia. E daí ele reduziu o escopo do jogo

    A verdade verdadeira é que o jogo que ele sempre quis fazer era MGS2. O resto foi por pressão externa

     Deep Lying Playmaker
  •  6243 posts
  •  

    Avatar do usuário

    E2EK1EL escreveu: Aqui é o tópico do mgs?
    Quando é tópico de jogo ruim é normal mudar para um assunto mais interessante ;) ;) ;)

     Sudit
  •  45916 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Deep Lying Playmaker escreveu:
    Sudit escreveu: Penso que o 4 teve uns problemas de produção, talvez Kojima pensou demais e não conseguiu entregar as ideias.

    Uma falha é a camuflagem, era para ser mais complexa, afetar mais o cenário e gameplay, no final ficou simples.

    Um grande problema era as armas, aquilo de nanomachines, acho que a ideia era fazer o jogo bem complexo, que a munição seria mais dificil por essas limitações... Foi resumido de forma porca, se compra munição no menu, para ser assim ruim bastava ser o sistema simples do 3, que se pegava munição e arma pelo cenário, em lugar de uma "loja virtual" com aquele negro chato do macaquinho.

    Outro problema é o sistema de rebeldes, deveria ser um ponto forte no jogo, mas aparece apenas alguns cenários de forma bem simples.
    Inicio de um ato, não lembro quem se passando pelo Snake mata não lembro quem, a ideia claramente era passar que o Snake ia ser perseguido pelos rebeldes... e fica por isso mesmo. Apenas a ideia, não é implementada e muito menos interfere na história essa cena.

    Acho que o plano do kojimão foi grande demais para o jogo, o grande problema que ele deixou as ideias e parte da estrutura incompleta no jogo. Se fosse para deixar assim, teria sido melhor retirar tudo e deixar o sistema comum usado no 3, que era muito melhor.


    Graficamente o jogo foi foda demais, as cutscenes eram incriveis, old snake era muito legal (mesmo que cagaram bastante no desenvolvimento dele), o gameplay era fantastico.
    Mas é um jogo incompleto...
    Quem sabe um dia lançam um remake que tenha o dobro de cenário, arrumem todas as cagadas, arrumem a estrutura do game, retirem parte dos personagens chatos, coloquem mais bosses em cenários mais interessantes, e assim vire goty da humanidade.
    Muito do que você falou foi confirmado pelo próprio Kojima

    Ele diz ter se decepcionado com o poder do PS3 (além da dificuldade de programar)

    Então o escopo grandioso do 4 foi drasticamente diminuído. Só ver os primeiros trailers do jogo

    A ideia era poder jogar o jogo 100% como um FPS, de tão intenso que seria o campo de batalha

    E mais, aconteceu a mesma coisa com o 3. O Kojima disse que não queria fazer Snake Eater no PS2. Mas o PS3 estava demorando muito para sair, então ele mudou de ideia. E daí ele reduziu o escopo do jogo

    A verdade verdadeira é que o jogo que ele sempre quis fazer era MGS2. O resto foi por pressão externa
    Eu sei lá com essas justificativas de produtores com hardware... Pq já se passou mais de 10 anos e tudo aquilo que o MGS4 prometia até hoje não se fez.
    Ele teve um tempão, um investimento absurdo e liberdade absurda para fazer o Death Stranding, e saiu aquilo lá...

    MGS4 claramente as ideias estavam lá, e foram abandonadas, e depois ele não voltou a tentar utilizar elas.
    Talvez o que ele imaginava estava alem daquilo que ele teria capacidade de fazer.

    MGS3 era fantastico, tinha uns caixistas chatos na uol que se achavam experts em programação que renegavam o jogo, insistiam e juravam de pé juntos que tudo era CG, que PS3 não tinha capacidade de rodar aquilo.

    E uma vantagem do MGS3, que tbm havia no 1, era que era apenas um cenário que se desenvolvia. No 4 foi meter varias regiões e virou aquela zona incompleta. Isso sempre limita o jogo final.

     Clone
  •  21546 posts
  •  

    Avatar do usuário

    MGS4 é estranho pra mim. Ao mesmo tempo q eu coloco ele no meu top 5 do PS3, eu vejo ele bem abaixo da trilogia original.
    Em outras palavras eu acho ele um excelente jogo, mas a trilogia pra mim tá em outro nível, MGS3 e MGS1 tá no meu top 20 da história.

    Quanto ao MGS5, eu acho ele fantástico, absurdamente ambicioso e revolucionário MAS ele peca em 2 pontos:
    o primeiro completamente óbvio, nem vou me aprofundar, história cagada e rushada. Mesmo se a Konami desse todo o tempo necessário ainda seria meh, na minha opinião.

    o segundo, provavelmente por falta de tempo tb, ele peca em vários aspectos técnicos:
    * quanto aos gráficos, só tem 2 ambientes, areia no oriente médio e selva africana, enquanto o MGS3, por exemplo, tem uns 10 diferentes. E se for pra focar em open world, Red Dead 1, tem pelo menos uns 3 cenários MUITO diferentes.
    * quanto aos áudios, achei legal a parada das músicas, mas senti falta da OST nas missões
    * quanto a base, é nitidamente capada, ficou um grande leviathan sem muita utilidade

    esses dois problemas q eu vou citar agora, parecem ter o mesmo motivo, aumentar desnecessariamente o tamanho do jogo, provavelmente devido às críticas do Ground zeroes
    * colocar uma porrada de missão secundária inútil e repetitiva como obrigatória, já q precisa passar elas pra abrir as principais
    * agora esse pra mim é o mais absurdo e prejudicial, quem foi o imbecil q teve a ideia de repetir missão? tira completamente a imersão do jogo. Porra foi muito absurdo eu ir enfrentar a quiet de novo, sendo q ela tava na minha base já :lol:

    Agora a jogabilidade é algo absurdo, incrível, a possibilidade de realmente vc jogar do jeito q achar melhor, vc pega pra cada missão 5 vídeos no youtube de players completando a missão de uma maneira completamente diferente, algo absurdamente oposto a merda q fizeram no RDR2, por exemplo.

    E mesmo coisas q eu achava muito tosco no início, com o tempo eu vi como era divertido, até pq não era obrigatório, como o slow motion a ser detectado, a visão infra-vermelho e marcador nos inimigos no lugar do mapa, escolher seu companheiro de missão ( cachorro, quiet, ... ) só o fulton q eu achei merda
    msm.
    Toda os jogos de ação dessa nova geração beberam demais de tudo q o MGS5 trouxe, no caso de Uncharted e principalmente Horizon é descarada a influência.
    Pena q o jogo cagou demais na história e mais pena ainda q o lixo da Konami deixou a geração acabar e não usou a engine pra fazer os primeiros MGS do MSX ( apesar q talvez foi melhor imagina a merda q poderia sair ).

    Eu poderia fazer um textão maior q do sudit, avaliando outros detalhes, mas já faz mó tempo q eu terminei e esse nem é o tópico de MGS, mas pelo menos tá servindo pra falar de jogo bom ;)
    na verdade ficou maior q o do sudit :incrivel:

     ai caramba
  •  27541 posts
  •  

    Avatar do usuário

    mudem o titulo do topico pra Série Metal Gear Solid e vamos esquecer que TLOU2 existiu algum dia

     DAC
  •  17352 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Chega de falar de MGS, vamos voltar a comentar a obra prima do Neil Cuckmann ;)

     Sudit
  •  45916 posts
  •  

    Avatar do usuário

    MGS5 ainda tbm é jogo de PS3, Kojima trabalha melhor quando tem um hardware inferior para tentar tirar o máximo.

    Quando tem um hardware dedicado e muito investimento, ai sai MGS4, Death Stranding...

     Salieri
  •  24807 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Acabei de chegar na ilha dos Scars. O jogo tá muito bom por enquanto.

    Aquela parte daquele monstro gigante que aparece foi muito maneira, fiquei tenso pra caramba. :ohnoes:

    E ainda não gosto muiiiiito da Abby, mas todo esforço que ela ta fazendo pra ajudar aqueles dois Scars fizeram eu simpatizar com ela um pouco mais.

     Bolatti Deusudo
  •  15908 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Eu fico impressionado como o pessoal eleva às vezes história de blockbuster de vídeo game.

    Não que MGS não seja uma exceção e tenha alguma qualidade maior (apesar de que o que eu gosto mais na série é a união do estilo de anime com narrativa Hollywoodiana), mas acho bem estranho alguém elevar a maioria das coisas aqui ou empinar nariz pra filme da marvel elogiando enredo de jogo.

    Não que não tenha alguns que divirtam, mas em geral é tudo meio fraco. Forte narrativo de jogo são mais RPGs que podem explorar mais lore em si (open world também poderia fazer isso tecnicamente, mas acho todas as experiências, em termos narrativos e não de jogabilidade, bem fracas).

    Um dia no auge da trilogia do Kojima eu pensei que o melhor caminho pros jogos seria algo estilo ele. Hoje eu vejo que em geral é um péssimo caminho e que a Nintendo estava certa no fim. Dificilmente uma história merece 20 horas na frente da tv feita por um roterista de segunda categoria que não conseguiu espaço em outras mídias.

     Samo
  •  3899 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Bolatti Deusudo escreveu: Eu fico impressionado como o pessoal eleva às vezes história de blockbuster de vídeo game.

    Não que MGS não seja uma exceção e tenha alguma qualidade maior (apesar de que o que eu gosto mais na série é a união do estilo de anime com narrativa Hollywoodiana), mas acho bem estranho alguém elevar a maioria das coisas aqui ou empinar nariz pra filme da marvel elogiando enredo de jogo.

    Não que não tenha alguns que divirtam, mas em geral é tudo meio fraco. Forte narrativo de jogo são mais RPGs que podem explorar mais lore em si (open world também poderia fazer isso tecnicamente, mas acho todas as experiências, em termos narrativos e não de jogabilidade, bem fracas).

    Um dia no auge da trilogia do Kojima eu pensei que o melhor caminho pros jogos seria algo estilo ele. Hoje eu vejo que em geral é um péssimo caminho e que a Nintendo estava certa no fim. Dificilmente uma história merece 20 horas na frente da tv feita por um roterista de segunda categoria que não conseguiu espaço em outras mídias.
    Cara, eu tenho muitas dúvidas dessa proximidade videogame e cinema. Mas tendo a achar algo próximo do seu post.

    Em geral, odiei todos jogos "holywoodianos" / "cinematográficos", que vi ou joguei. Tô falando de coisas como a Nauthy Dog faz, ou aqueles muito scriptados. QTE, por exemplo, pra mim foi a pior coisa que inventaram. É uma mistura de gameplay sem qualquer desafio e filme interativo. Eca.

    Ao mesmo tempo, reconheço que um bom jogo pode contar uma boa história também. E nisso se aproxima sim da essência do cinema.

    Enfim, acho que eles devem fazer as coisas usando a especificidade de cada mídia. Videogame tem todo um estilo, imersão e lore pra explorar, como você disse. Talvez se apegar tanto a "parecer um filme" seja limitante.

    Sei lá, é um papo enorme pra se ter.

     Clone
  •  21546 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Mas vcs estão falando da história de MGS ou Last of US?

    Se for de MGS, tem q analisar o contexto.
    O primeiro MGS para PS1 saiu em 97, com dezenas de áudio, numa época q os N64 sequer tinha diálogo com áudio nos seus jogos mais famosos.
    Obviamente o roteiro de MGS não é uma obra-prima no cinema, mas naquele caso, a análise tem q ser feita no q existia pra games e nisso ele tem uma grande relevância pra época.
    É diferente com os filmes da Marvel, pq nesse caso o contexto é um século de obras brilhantes no cinema pra comparar.
    Por fim, vale lembrar q MGS sempre teve uma jogabilidade brilhante, as kojimices na história eram apenas um bônus. O jogo é monstruoso independente da história.

    E aí entramos em Last of Us.
    Meu principal problema com o primeiro Last of Us é q ele sempre foi tratado como uma obra prima por causa da história e desenvolvimento dos personagens. E sim, é verdade MAS em se tratando de videogames.
    O problema é q esqueceram, na minha opinião, q o coração de um jogo de videogame precisa ser a jogabilidade.
    Mas nego queria 10/10 à todo custo pro primeiro mesmo q o stealth era ridículo, mesmo q os puzzles se resumiam a carregara escad, mesmo q o fator tensão era anulado pelos checkpoints constantes, fazendo algumas cenas pareceram um QTE evolved, ainn mas é o melhor jogo de todos os tempos.

    Então, na minha opinião, foco na história em games só é problema quando ela acaba ofuscando o principal de um jogo, q é a jogabilidade.
    Pq se eu quiser apenas uma história brilhante, filmes e séries estão anos-luz à frente dos videogames.

    E lembrando q tanto TLOU2 quanto MGS5 acabaram pecando exatamente na história e em ambos os casos atraíndo uma crítica desnecessária pros jogos.

     DAC
  •  17352 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Pergunta para os que criticam a jogabilidade. Em que dificuldade vocês jogaram?
    Pq já disse e repito, joguei no survivor e foi uma das melhores experiências que já tive num jogo, tanto no 1 quanto no 2.
    Já vi uns videos de gente jogando no normal e até mesmo no hard e a diferença é absurda, recursos abundantes, pouco dano, inimigos quase cegos e IA bem mais burra.

    Inclusive tô fazendo meu segundo playthrough naquela dificuldade custom, coloquei todos os parâmetros no survivor menos a quantidade de recursos e só isso já tira totalmente a tensão do jogo, tô mais ou menos em 1/3 dele e morri umas duas vezes só.

     Clone
  •  21546 posts
  •  

    Avatar do usuário

    DAC escreveu: Pergunta para os que criticam a jogabilidade. Em que dificuldade vocês jogaram?
    Pq já disse e repito, joguei no survivor e foi uma das melhores experiências que já tive num jogo, tanto no 1 quanto no 2.
    Já vi uns videos de gente jogando no normal e até mesmo no hard e a diferença é absurda, recursos abundantes, pouco dano, inimigos quase cegos e IA bem mais burra.

    Inclusive tô fazendo meu segundo playthrough naquela dificuldade custom, coloquei todos os parâmetros no survivor menos a quantidade de recursos e só isso já tira totalmente a tensão do jogo, tô mais ou menos em 1/3 dele e morri umas duas vezes só.
    Você jogou no survivor na última jogabilidade na primeira jogatina e sem usar checkpoints?

    Pq Last of Us tem uma dificuldade forçada q só funciona de verdade na primeira jogatina, preferencialmente se vc não usar checkpoints.
    A premissa de Last of Us é vá do ponto A ou ponto B de um terreno desconhecido com o menor número de suprimentos possíveis.
    Obviamente o terreno só é desconhecido na primeira jogatina e antes de usar checkpoints.
    E o mesmo vale para a localização dos inimigos e suprimentos.

    Uma parte q deixa isso bem claro pra mim é quando vc joga com a Ellie no 1, uma menina sem qualquer experiência e com suprimento limitado matar dezena de inimigos muito mais treinados q ela, com muita mais munição em um ambiente conhecido pelos inimigos.
    Aquilo não é realista de forma alguma, se aquela situação ocorreção em infinitos multiversos a Ellie morreria em todos.

    Claro, estamos falando de um videogame, mas isso não muda muito; como muitas pessoas passam aquela parte? Morrendo várias vezes e usando checkpoints até decorar a posição dos inimigos e a forma de matá-los e um esquema similar ao q faz o cara do agressive gameplay.

    É só usar o próprio exemplo de MGS, citado aqui pra ver como a dificuldade é algo bem diferente. Você tem dezenas de opção diferentes de completar um objetivo, liberdade absurda, onde a dificuldade não fica concentrada no número de inimigos x quantidade de suprimentos, vc pode usar sua criatividade pra completar a missão sem precisar matar sequer um inimigo.

     Clone
  •  21546 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Esse aqui é outro exemplo q sempre adoro usar.
    Isso é um QTE de luxo, q
    a) a tensão é cortada já q tem um checkpoint caso você morrer, completamente diferente da tensão de dar game over num Persona, q não é jogo de terror, depois de 1 hora jogando sem save
    b) a dificuldade consiste em decorar o q tem q fazer até conseguir



    Isso pra mim é lazy game design e TLOU tem vários momentos desses.

     Clone
  •  21546 posts
  •  

    Avatar do usuário

    E só pra terminar meu flood, não acho TLOU um jogo ruim, longe disso, é meu top 10 no PS3, um sólido 9/10 pra mim.

    O q sempre me incomodou foi gente exigindo ele ser 10/10, como se a jogabilidade fosse 10/10 ou q isso não importasse pq a história compensava.

    Além, de na linha do q o Solid falou, colocar a história como a melhor história de todos os tempos, quando na verdade isso ocorria, pq boa parte dos jogadores tem um background raso em relação a outras mídias como o cinema.

     Samo
  •  3899 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Lembro até hoje quando tentei jogar um Uncharted.

    Cai o avião comigo dentro. Ba bum pá, super emocionante. Daí eu sobrevivo e tenho que escalar uma montanha. Beleza, sair do avião só segurar pra frente, suave, o jogo ta começando. Na hora que eu pulo do avião (o pulo é automático ou só apertar um botão quando mandam), o avião cai do penhasco. Uau, acho que não tinha como morrer nesse caso, mas tudo bem.

    Começa a escalada. Basicamente segurar pra cima e apertar um botão de vez em quando é pra ele dar um salto. Desafio zero, impossível errar ou fazer qualquer outra coisa. Mas o que mais me irritava é que parecia super difícil pro tal do Drake. Algumas pedras escorregavam, outras ele se segurava na ponta dos dedos, outra ele tinha que pular rápido pra não cair. Super cinematográfico. E eu só segurando pra cima no controle. Sei lá, pra mim cria um distanciamento entre personagem e jogador que me tira da parada. Pereferia que fosse cut-scene logo, já que não é pra jogar de verdade.

    Daí o pior. Quase terminando a escalada o tal do Drake escorrega e cai uns 10 metros pra baixo, completamente scriptada, sem ter nada o que eu fazer. E vamos lá segurar pra cima mais alguns minutos. Pra puta que pariu.

    Enfim, um terror esse tipo de gameplay.

     DAC
  •  17352 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Clone escreveu:
    DAC escreveu: Pergunta para os que criticam a jogabilidade. Em que dificuldade vocês jogaram?
    Pq já disse e repito, joguei no survivor e foi uma das melhores experiências que já tive num jogo, tanto no 1 quanto no 2.
    Já vi uns videos de gente jogando no normal e até mesmo no hard e a diferença é absurda, recursos abundantes, pouco dano, inimigos quase cegos e IA bem mais burra.

    Inclusive tô fazendo meu segundo playthrough naquela dificuldade custom, coloquei todos os parâmetros no survivor menos a quantidade de recursos e só isso já tira totalmente a tensão do jogo, tô mais ou menos em 1/3 dele e morri umas duas vezes só.
    Você jogou no survivor na última jogabilidade na primeira jogatina e sem usar checkpoints?

    Pq Last of Us tem uma dificuldade forçada q só funciona de verdade na primeira jogatina, preferencialmente se vc não usar checkpoints.
    A premissa de Last of Us é vá do ponto A ou ponto B de um terreno desconhecido com o menor número de suprimentos possíveis.
    Obviamente o terreno só é desconhecido na primeira jogatina e antes de usar checkpoints.
    E o mesmo vale para a localização dos inimigos e suprimentos.

    Uma parte q deixa isso bem claro pra mim é quando vc joga com a Ellie no 1, uma menina sem qualquer experiência e com suprimento limitado matar dezena de inimigos muito mais treinados q ela, com muita mais munição em um ambiente conhecido pelos inimigos.
    Aquilo não é realista de forma alguma, se aquela situação ocorreção em infinitos multiversos a Ellie morreria em todos.

    Claro, estamos falando de um videogame, mas isso não muda muito; como muitas pessoas passam aquela parte? Morrendo várias vezes e usando checkpoints até decorar a posição dos inimigos e a forma de matá-los e um esquema similar ao q faz o cara do agressive gameplay.

    É só usar o próprio exemplo de MGS, citado aqui pra ver como a dificuldade é algo bem diferente. Você tem dezenas de opção diferentes de completar um objetivo, liberdade absurda, onde a dificuldade não fica concentrada no número de inimigos x quantidade de suprimentos, vc pode usar sua criatividade pra completar a missão sem precisar matar sequer um inimigo.
    Zerei o 1 direto no survivor da primeira vez que joguei (2017 acho) e rejoguei no survivor+ agora antes de jogar o 2.
    Sobre decorar posição de inimigo isso vale pra praticamente todo jogo, inclusive Metal Gear que as patrulhas também seguem um padrão específico, se você morrer ou for descoberto é só voltar o save e antecipar os guardas.
    E TLOU também dá uma liberdade absurda de abordagem nos encontros (especialmente no 2), você pode passar num stealth sem matar ninguém, tentar matar todo mundo no stealth, dar uma de Rambo logo de cara (esse aqui é mais difícil de fazer no survivor mas ainda rola em alguns momentos), simplesmente meter o foda-se e passar correndo até a próxima área...

     Mortal Kombat
  •  22635 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Apesar de gostar muito de Uncharted e TLOU, o que o @Samo e @Clone estão falando é a pura verdade.

    Tlou o movimento de patrulha dos inimigos é extremamente scriptado, basta você decorar o que eles fazem e ter um pouco de paciência que dá para fazer quase tudo no stealth, os puzzles são bem simples também.
    • 1
    • 123
    • 124
    • 125
    • 126
    • 127
    • 130

    MENSAGENS RECENTES

    Tópico 10/10! E parabéns pelo bom se[…]

    Eu já disse, 2019 foi atípico. Nem […]

    maior humilhacao foi chamar o vascao de al[…]



    O melhor conteúdo: seguro, estável e de fácil manutenção, desde 2012