O seu lugar para falar asneiras e discutir assuntos variados
  • 1
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15

 Turin
  •  18200 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Elementar, meus caros 8-)

     V-Brake
  •  38987 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Farofas escreveu: uma comparação boa é quando há choque entre aeronave e veículo motor, como no caso do Boechat por ex.

    morreram todos no helicoptero, e o motorista sofreu apenas ferimentos leves

    isso dá a perfeita dimensão de qual transporte é mais seguro
    :lolsuper: :lolsuper: :lolsuper: :lolsuper: :lolsuper:

     Rules
  •  41657 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Mortal Kombat escreveu: Óbvio que é fake, 737 é um Narrow Body só tem um corredor.

    Esse do vídeo tem dois, normalmente nessa configuração de 2-3-2 é o 767 ou A330.
    Eita
    Temos um especialista no assunto

     v00d00
  •  1835 posts
  •  

    Avatar do usuário

    gabrielbsb escreveu:
    v00d00 escreveu:
    gabrielbsb escreveu: eu ia viajar no 737 max da ethiopian em setembro :ohnoes:
    fiquei bolado com isso ai, mas como vão escantear os 737 max deu uma tranquilizada
    de qualquer forma, a manutenção destes países não é lá mto reconhecida.

    Boa sorte ;)
    ethiopian é uma das empresas mais seguras do mundo, referência em manutenção

    https://www.airlineratings.com/ratings/ ... n-airways/
    Safety Rating 6/7

    http://www.askthepilot.com/questionansw ... ne-safety/
    Or how about Ethiopian Airlines? Here is another impoverished country surrounded by rugged terrain. Yet the record of its national carrier — three fatal events, one of them a hijacking, in over seventy years of operation — is exceptional. Ethiopian is one of the proudest and arguably one of the safest airlines in the world.

    no mais prefiro viajar num dreamliner da ethiopian do que nessas latas velhas da latam
    :lol:

    to de zoeira, tbm fico na neura quando vou viajar e tem acidentes ou incidentes.

     kuka
  •  510 posts
  •  

    Avatar do usuário

    A queda de um Boeing 737-8 Max da Ethiopian Airlines no domingo, após um acidente semelhante com um avião da Lion Air na Indonésia, levou vários países e companhias a suspenderem os voos com estes aparelhos.

    A companhia aérea indiana Jet Airways juntou-se, esta terça-feira, à lista de empresas que encostaram os Boeing 737 MAX, depois de uma aeronave deste modelo se ter despenhado no domingo na Etiópia, causando a morte das 157 pessoas a bordo.

    A queda de um Boeing 737-8 Max da Ethiopian Airlines no domingo, após um acidente semelhante com um avião da Lion Air na Indonésia, levou vários países e companhias a suspenderem os voos com estes aparelhos.

    A companhia aérea indiana Jet Airways juntou-se, esta terça-feira, à lista de empresas que encostaram os Boeing 737 MAX, depois de uma aeronave deste modelo se ter despenhado no domingo na Etiópia, causando a morte das 157 pessoas a bordo.

    Na Etiópia, após o trágico acidente do voo ET302, no domingo, a Ethiopian Airlines decidiu imobilizar toda a frota de Boeing 737 MAX "até novo aviso".

    https://www.jn.pt/mundo/interior/aument ... 69285.html

     kuka
  •  510 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Os Estados Unidos vão obrigar a empresa Boeing a fazer modificações no 'software' e sistema de controlo dos modelos de aviões 737 MAX 8 e 737 MAX 9.


    A Agência Europeia de Segurança Aérea (AESA) informou hoje que está a investigar com os Estados Unidos da América as causas do acidente do avião da Ethiopian Airlines, no qual morreram 157 pessoas de 35 nacionalidades.

    As equipas de resgate encontraram hoje a caixa negra do avião que caiu no domingo poucos minutos depois de descolar de Adis Abeba, capital da Etiópia, com destino a Nairóbi, capital do Quénia. O avião caiu numa zona chamada Hejeri, perto da cidade de Bishoftu, a 42 quilómetros a sudeste da capital da Etiópia.

    As causas do acidente ainda não são conhecidas, mas este é o segundo acidente envolvendo um Boeing 737 MAX. O primeiro ocorreu ao largo da costa da Indonésia, em circunstâncias semelhantes, em 29 de outubro, e resultou também na morte de todos os ocupantes.

    https://www.jn.pt/mundo/interior/eua-ob ... 68987.html

     kuka
  •  510 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Singapura e Austrália decidem banir a aeronave modelo B-747 MAX 8 de seu espaço aéreo por tempo indeterminado.

    Singapura e Austrália estacionam suas frotas do modelo B-737-M8 depois do modelo sofrer seu segundo acidente fatal em cinco meses.

    A Austrlia's Civil Aviaton Autority (CASA) decidiu banir todos os B737-M8 de operar em seu espaço aéreo (pousar e decolar).

    “This is a temporary suspension while we wait for more information to review the safety risks of continued operations of the Boeing 737 MAX to and from Australia,” CASA chief executive Shane Carmody said in a statement.

    Singapure Civil's aviation (CAAS) disse que fará uma revisão na aeronave, e por enquanto estará banida por tempo indeterminado de seu espaço aéreo (pousar e decolar).

    Eles seguem a Indonésia, Etiópia, África do Sul e China em suspender as operações do modelo.

    Significa que a Boeing enfrenta a possibilidade de que seu modelo mais novo seja banido de alguns de seus mercados asiáticos mais importantes, com companhias aéreas chinesas tendo comprado mais de 100 da nova linha, perfazendo 17% das 350 entregas até janeiro.

    Mas a Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA) emitiu uma “notificação de aeronavegabilidade continuada” para o modelo em uma tentativa de tranquilizar os operadores. Ele detalhou uma série de mudanças de projeto exigidas pela Boeing.


    http://www.cityam.com/274529/singapore- ... ntries-ban

     Rules
  •  41657 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Deu ruim pra Boeing hein

     andershow
  •  16338 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Agora é o momento mais seguro pra viajar. Nunca que vai cair dois aviãozão desse numa mesma semana, agora em Setembro eu já não sei dizer se é seguro, muito tempo até lá né @gabrielbsb :rimbuk2:

     Farofas
  •  168290 posts
  •  

    Avatar do usuário

    ao que tudo indica há mesmo uma falha no projeto da aeronave
    Ivan Sant’Anna - Money Times

    Caro leitor,

    Quem leu minha crônica “O Boeing derrubou a Boeing, que derrubou o Dow, que derrubou o Ibovespa”, publicada na newsletter Warm Up Pro na quarta-feira 31 de outubro de 2018, sabe as consequências, no mercado de ações, para os papéis de uma indústria aeronáutica quando um dos modelos de sua fabricação sofre um acidente grave.

    Principalmente quando se trata de um tipo de aeronave recém-lançado.

    Pois bem, naquela ocasião um Boeing 737 Max 8 (voo 610 da Lion Air) mergulhou no mar de Java 12 minutos após decolar do Aeroporto Internacional Soekarno-Hatta, em Jacarta, Indonésia, com destino à cidade de Pangkal Pinang. Todos os 189 ocupantes do jato tiveram morte instantânea.

    As ações da Boeing em Nova York caíram 7% no primeiro pregão após a tragédia.

    Mas a queda não teve prosseguimento. Afinal de contas, a Boeing Company já lançara os 737-200, 300, 500, 700, 800 e 900, com enorme sucesso em cada uma das séries.

    Agora o desastre se repetiu, como se fosse um macabro replay, desta vez envolvendo um Max 8 da Ethiopian Airlines, que despencou em direção ao solo apenas seis minutos após partir do aeroporto internacional da capital etíope, Adis Abeba, com destino a Nairobi, no Quênia.

    Tal como acontecera na Indonésia, nenhum dos 157 tripulantes e passageiros sobreviveu.

    Poucas coisas são tão prejudiciais a um fabricante de aviões do que a queda de um dos seus exemplares. Se for um modelo relativamente novo (o primeiro voo do 737 Max, ainda em fase de testes, ocorreu em 29 de janeiro de 2016), é uma tragédia sem tamanho.


    Agora, raciocinemos juntos, caro leitor: duas aeronaves idênticas caindo do mesmo modo num intervalo de cinco meses é uma verdadeira desgraça para quem as construiu. Pode (e deve) significar que o projeto tem algum erro de planejamento e concepção. Talvez uma simples resistência elétrica, quem sabe uma falha estrutural gravíssima.

    Acredito que a Boeing Company, seja por iniciativa própria, seja por determinação da FAA (sigla em inglês para Administração Federal de Aviação), vai recolher todas os 737 Max 8 até que os investigadores descubram o que aconteceu nos dois voos e possam corrigir o que está errado. Isso pode levar muito tempo.

    Existem mais de 350 Boeings exatamente iguais aos dois que caíram voando em diversas companhias aéreas espalhadas pelo mundo. Os pedidos em fila de espera somam 5.111.

    Há algumas semanas, a Airbus anunciou que irá parar de fabricar, em 2021, o A-380, maior aeronave de passageiros existente no mercado. Motivos da decisão: a Emirates cancelou um pedido de 39 unidades; o Super Jumbo está vendendo um terço do que os franceses calculavam colocar no mercado.

    Essa deliberação da Airbus impulsionou as ações de sua única concorrente, a Boeing Company, que inclusive está entre as 30 integrantes do índice Industrial Dow Jones da New York Stock Exchange, impulso esse que agora cairá (literalmente) por terra após o acidente na Etiópia.

    Será um tombo dos grandes. E deverá ocorrer logo na abertura dos trabalhos de hoje da NYSE.


    Por mais que sejam exaustivamente testados, modelos novos de aeronaves são sempre uma incógnita.

    Para aqueles que se interessam pelo assunto, recomendo a leitura de Loud & Clear, de Robert J. Sterling, publicado em 1969 pela editora Doubleday & Company. Entre outras histórias intrigantes sobre a aviação comercial, Sterling narra o enigma do Electra.

    Para pessoas como eu, que voaram por décadas em aviões da ponte aérea Rio/São Paulo, o quadrimotor turboélice Electra 2 sempre foi sinônimo de conforto e segurança.

    Durante 17 anos, entre março de 1975 e dezembro de 1991, o Electra 2 fez milhares de voos entre as duas capitais, sem que ocorresse sequer um acidente.

    O que pouca gente sabe é que o Electra em seu início (Electra 1) foi um avião amaldiçoado.

    Dois Electra 1 da empresa norte-americana Braniff, ao entrarem em zonas de turbulência, sofreram pane estrutural irrecuperável. Um deles perdeu uma das asas e o outro simplesmente se desintegrou. Todos os passageiros e tripulantes morreram.

    O conselho da FAA estava reunido, para decidir se mandavam recolher todos os Electras (havia centenas deles espalhados pelo mundo), quando chegou a notícia de que o voo 508 da LANSA, voando entre duas cidades peruanas, se desmanchou no ar, matando 91 de seus 92 ocupantes.

    Juliane Koepcke, a adolescente que sobreviveu, deve ser imortal. Após a queda, coberta de feridas, safou-se sozinha, caminhando pela selva até encontrar a civilização.

    Todas as aeronaves Electra foram proibidas de sair do chão até que se descobrisse a causa dos acidentes. Um piloto de provas da Lockheed, usando paraquedas e pilotando num cockpit equipado de assento e teto ejetores, decolou inúmeras vezes e saiu voando pelos céus americanos em busca de tempestades.

    Achou uma extremamente severa, na qual uma das asas se separou da fuselagem.

    O Electra 2, que tanto voou entre São Paulo e o Rio, é o resultado dos reforços que fizeram nas junções das asas com a fuselagem. Deu certo. Durante aqueles 17 anos não houve nenhum incidente grave.

    Enquanto a Boeing não descobrir o que aconteceu na Indonésia e na Etiópia, a empresa estará sob ameaça de sofrer sérias perdas financeiras.

    Talvez isso influencie hoje o comportamento das ações da Embraer, já que a Boeing Company possui 80% da divisão de jatos comerciais da fabricante brasileira. Mas não vejo nenhum razão para maiores temores. Pelo menos não na Bolsa brasileira.

    O mesmo não posso dizer da matriz norte-americana.

     Santos F.C.
  •  12501 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Quem trabalha com bolsa é puta!

    :nem:

     gabrielbsb
  •  1925 posts
  •  

    Avatar do usuário

    andershow escreveu: Agora é o momento mais seguro pra viajar. Nunca que vai cair dois aviãozão desse numa mesma semana, agora em Setembro eu já não sei dizer se é seguro, muito tempo até lá né @gabrielbsb :rimbuk2:
    já trocaram o 737 max do meu voo pelo 737 NG :feliz2:

     Santos F.C.
  •  12501 posts
  •  

    Avatar do usuário

    gabrielbsb escreveu:
    andershow escreveu: Agora é o momento mais seguro pra viajar. Nunca que vai cair dois aviãozão desse numa mesma semana, agora em Setembro eu já não sei dizer se é seguro, muito tempo até lá né @gabrielbsb :rimbuk2:
    já trocaram o 737 max do meu voo pelo 737 NG :feliz2:
    É raríssimo caírem três aviões do mesmo modelo em sequência, eu não entraria nesse outro avião!

    :bigode:

     kuka
  •  510 posts
  •  

    Avatar do usuário

    União Europeia suspende todas as operações de voo de dois modelos Boeing 737

    "A EASA decidiu suspender todas as operações de voo dos dois modelos afetados", disse a agência em um comunicado.

    A EASA disse que estava "suspendendo todas as operações de voo de todos os aviões Boeing 737-8 MAX e 737-9 MAX da Europa" a partir das 16h (horário de Brasília).

    Também foi anunciada "a suspensão de todos os voos comerciais realizados por operadores de países terceiros, dentro ou fora da UE, dos modelos acima mencionados".

    https://www.terra.com.br/noticias/mundo ... oryzk.html

     kuka
  •  510 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Air Canada cancels flights after U.K. and EU close airspace to Boeing 737 Max 8
    Air Canada cancela vôos com 737-M depois de União Européia e Reino Unido fecharem seus espaços aéreos para o modelo.
    (Air Canada tem 24 aeronaves Boeing no modelo MAX 8s).

    Martyn Amos, professor em Newcastle upon Tyne no nordeste da Inglaterra, deve voar com a Air Canada de Londres para Halifax no domingo.

    Ele disse que antes da proibição do espaço aéreo, ele estava preocupado com o fato de que ele deveria voar em um Boeing 737 Max 8.
    - "O fabricante claramente reconheceu que há um problema com a aeronave e está tomando medidas para remediar isso"
    - "Minha preocupação pessoal era que essas modificações na aeronave não estivessem em vigor antes do meu voo no domingo".



    As duas maiores companhias aéreas do Canadá disseram anteriormente que estão confiantes na segurança da aeronave:

    A Air Canada informou que suas 24 aeronaves Max 8 tiveram um desempenho "excelente" e cumpriram os padrões de segurança e confiabilidade.
    A WestJet, sediada em Calgary, disse que está "trabalhando com a Boeing para garantir a operação segura da nossa frota Max", que inclui 13 Max 8s.

    Imagem

    https://www.cbc.ca/news/canada/nova-sco ... -1.5052946

     kuka
  •  510 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Atualmente, estão registradas mais de 370 aeronaves desse modelo. Destas, 56% estão em terra por decisões de companhias aéreas. Na semana de 25 de fevereiro, esse avião da Boeing realizou mais de 8.500 voos em todo o mundo, segundo o site especializado em rastreamento de operações aéreas FlightRadar24.

    A Agência Federal de Aviação dos EUA relatou que adotará “medidas imediatas” se houver um problema de segurança. As companhias aéreas chinesas, em plena expansão, estão entre os melhores clientes da Boeing e seu modelo 737-MAX, o mais moderno da empresa.

    As ações do fabricante de aviões começaram a sessão em Wall Street com uma queda de até 12%, a maior desde os ataques de 11 de setembro nos Estados Unidos. Os papéis da empresa norte-americana tinham se valorizado 30% este ano, até sexta-feira, antes do acidente. A empresa viu se evaporarem em segundos 30 bilhões de dólares (115 bilhões de reais) em capitalização no mercado de ações.

    A Boeing afirma que o avião está seguro para voar e, em comunicado, insiste em que com base nas informações disponíveis não há razão para emitir novas diretrizes para a operação da aeronave. O aparelho é muito popular, especialmente entre as companhias aéreas de baixo custo.

    https://brasil.elpais.com/brasil/2019/0 ... 66029.html
    Farofas  isso

     kuka
  •  510 posts
  •  

    Avatar do usuário

    FAA acata pedido da Boeing e interrompe operações do Boeing 737 - série MAX 8/9 no mundo inteiro.

    Os Estados Unidos suspenderam todos os voos com o Boeing 737 MAX no país, informou nesta quarta-feira (13) a Autoridade Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês). A medida vale tanto para o modelo 8 quanto para o 9 – ambos produzidos pela fabricante norte-americana.

    Boeing pediu suspensão no mundo inteiro

    A fabricante solicitou que a agência FAA recomendasse ao mundo inteiro a interrupção dos voos com o 737 MAX – e não apenas aos EUA.

    A própria Boeing escreveu que os modelos não devem voar enquanto durarem as investigações, medida que considera "zelo em excesso para assegurar a segurança da aeronave ao público". "A Boeing continua a ter total confiança na segurança do 737 MAX", diz o comunicado.

    Com a ordem da FAA, os EUA se juntam aos mais de 50 países que suspenderam os voos com aeronaves Boeing 737 MAX. Em alguns casos, as próprias companhias aéreas nacionais decidiram não mais voar com aviões do tipo.

    https://g1.globo.com/mundo/noticia/2019 ... -max.ghtml

     kuka
  •  510 posts
  •  

    Avatar do usuário

    A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) proibiu nesta quarta-feira (13) o uso das aeronaves 737 MAX 8, da Boeing.

    No Brasil, apenas a Gol voava com o modelo.

    "Após a ocorrência de dois acidentes fatais com a aeronave Boeing 737-8 e devido a similaridade dos dois acidentes, decidiu-se como medida preventiva que todas as operações comerciais utilizando a aeronave Boeing 737-8 com marcas brasileiras devem ser paralisadas até que as medidas de segurança apropriadas sejam tomadas", informou a Anac.

    https://g1.globo.com/economia/noticia/2 ... ax-8.ghtml

     kuka
  •  510 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Gol tem pedidos para comprar 133 aviões Boeing 737 Max 8 até 2028

    A Gol tem pedidos para adquirir 135 aeronaves 737 Max, com entrega até 2028. Desse total, 133 são modelos 737 Max 8, com capacidade para até 186 passageiros, e duas são 737 Max 10, com capacidade para até 230 passageiros.

    A frota atual da Gol inclui 7 aviões do modelo Boeing 737 Max 8.

    Ainda no primeiro mês de 2019, a Gol comunicou que tinha como meta reduzir a frota de 737 NG de atuais 114 aeronaves para 58 até 2028. Já a frota de 737 Max passará de 6 unidades hoje para 99 no mesmo intervalo. Com a chegada de aeronaves da família Boeing 737 Max, a Gol poderia inaugurar 15 novos destinos internacionais. A empresa retomou em dezembro de 2018 voos saindo de Brasília e Natal para Orlando e Miami, nos EUA.

    A Gol esperava receber em 2019 seis novas aeronaves Boeing 737 Max 8 e Max 10. A frota total da companhia crescerá 31% nesse período, passando de 120 para 157 aviões em uso. De acordo com a companhia, as aeronaves 737 Max proporcionarão aumento aumento de 45% na capacidade em relação ao modelo 737 NG e redução de 6% no consumo de combustível por hora de voo.

    https://www.valor.com.br/empresas/61539 ... 8-ate-2028
    • 1
    • 10
    • 11
    • 12
    • 13
    • 14
    • 15

    MENSAGENS RECENTES

    Qual o último jogo que vocês zeraram???

    :lolsuper: :lolsuper: :lolsuper: :lolsuper: :l[…]

    https://www.instagram.com/p/CAzNb4ABrr0/?utm_sou[…]

    Pô, vim saco achando que haviam criado a v[…]

    #ReleaseTheAyerCut Será o maior filme da D[…]



    O melhor conteúdo: seguro, estável e de fácil manutenção, desde 2012