O seu lugar para falar asneiras e discutir assuntos variados

 .Kiko.
  •  36847 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Um bom comparativo seria com atletas olímpicos de outros países.

    Obviamente com atletas de pouco reconhecimento, pois é claro que caras como Phelps e Bolt são muito ricos. :lol:

     Introspectivo
  •  28758 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Ele se profissionalizou, estava lutando na América. Não é possível que não fez um mínimo pé de meia.

    Cubano foge igual judeu em campo de concentração para fazer umas lutinhas em Vegas. Ctz que levanta uma grana.

     Sudit
  •  51069 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Dunkirk escreveu: Nao entendo oq as pessoas esperam. Oq significa "valorizar nossos atletas"?

    Era pra gente ficar dando dinheiro pra ele sempre?

    E tb tem vergonha nenhuma vender minipizza

    Era pro cara lutar uma competição e viver recebendo dinheiro do governo ou ter ficado milionario?
    Exato.

    As pessoas escolhem seus caminhos na vida. Muita gente tem oportunidades que outros nem sonham em ter, alguns aproveitam, outros desperdiçam... mas a vida segue.

    Não são as instituições, e muito menos o governo, que tem que manter alguem apenas pq num passado ele ganhou uma coisa no esporte.
    E ai fica um detalhe importante, ele "ganhou" e não "entregou". As conquistas foram dele, o dinheiro que ele ganhou por causa disso foi pra ele, a fama foi pra ele.

    Se esta numa categoria como a de esportista que tem "prazo de validade", com mais de 30 anos já é velho... bom, continue a vida de outra maneira, como qualquer ser humano faz.

     Mucamo
  •  23987 posts
  •  

    Avatar do usuário

    .Kiko. escreveu: Um bom comparativo seria com atletas olímpicos de outros países.

    Obviamente com atletas de pouco reconhecimento, pois é claro que caras como Phelps e Bolt são muito ricos. :lol:
    Mas o cara não é nível Phelps nem Bolt. O cara é nível Caio Márcio ou César Cielo. Abaixo do Cielo porque Cielo foi ouro (usando maiô da Nasa, mas ok).

     Turin
  •  20650 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Lembrando que ele tem um cartel de 28 lutas e 28 vitórias no boxe profissional, sendo 20 por nocaute. Se fosse americano, estaria bem de vida.

    Não tenho a mínima ideia o quanto ele ganhou nas lutas no exterior, mas dentro do Brasil certamente foi merreca

    O problema é que não tem patrocínio - e não tem patrocínio porque não tem interesse do público. A rigor, é essa a diferença, lá fora o público consome o produto, o que gera prêmios melhores e patrocínios decentes.

    Aqui, ou é patrocínio de estatal ou patrocínio subsidiado pelo governo

     Sudit
  •  51069 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Mas ai se pensa, um homem normal se aposenta aos 65 anos, um atleta se aposenta aos 35 anos.
    Então que continue trabalhando, como qualquer ser humano tem que fazer.

    Mas ai vem gente que ve um marmanjo de 31 trabalhando e ficam com papo "aim tadinho, ele ta tendo que trabalhar, que cruel é a sociedade brasileira para seus idolos esportivos".
    Queriam que o cara ficasse fazendo o que? Deitado o dia todo tomando agua de coco sendo bancado nos próximos 50 anos por dinheiro público?

     PedroFross
  •  2596 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Turin escreveu:Lembrando que ele tem um cartel de 28 lutas e 28 vitórias no boxe profissional, sendo 20 por nocaute. Se fosse americano, estaria bem de vida.

    Não tenho a mínima ideia o quanto ele ganhou nas lutas no exterior, mas dentro do Brasil certamente foi merreca

    O problema é que não tem patrocínio - e não tem patrocínio porque não tem interesse do público. A rigor, é essa a diferença, lá fora o público consome o produto, o que gera prêmios melhores e patrocínios decentes.

    Aqui, ou é patrocínio de estatal ou patrocínio subsidiado pelo governo
    Eu dei uma olhada em sites gringos e parece que a empresa que representava ele (Top Rank) não bota muita fé nele pra tentar arranjar uma luta com um cara rankeado, fora que todos os caras que ele lutou são completamente desconhecidos (como ele também é)

    Agora sobre o dinheiro não sei

    Enviado de meu Redmi Note 8 usando o Tapatalk

    Mucamo  isso

     Mortal Kombat
  •  24409 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Não relacionado com atleta olímpico, mas sim com a seleção brasileira.

    Eu tenho um vizinho que era metido com futebol que chamou meu pai para ir no aniversário dele na semana passada e lá estava dois campeões mundiais de 70 (Marco Antônio e o Britto) e eles comentaram que ganham cerca de 23k da CBF e que esse salário é graças uma lei que o Lula aprovou.

     PedroFross
  •  2596 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Que essa lei existe pra glr da seleção é vdd mesmo
    Os valores ninguém sabe

    Enviado de meu Redmi Note 8 usando o Tapatalk

     Mucamo
  •  23987 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Mortal Kombat escreveu: Não relacionado com atleta olímpico, mas sim com a seleção brasileira.

    Eu tenho um vizinho que era metido com futebol que chamou meu pai para ir no aniversário dele na semana passada e lá estava dois campeões mundiais de 70 (Marco Antônio e o Britto) e eles comentaram que ganham cerca de 23k da CBF e que esse salário é graças uma lei que o Lula aprovou.
    Lei geral da copa
    http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_a ... l12663.htm

    Art. 37. É concedido aos jogadores, titulares ou reservas das seleções brasileiras campeãs das copas mundiais masculinas da FIFA nos anos de 1958, 1962 e 1970: (Produção de efeito)

    I - prêmio em dinheiro; e

    II - auxílio especial mensal para jogadores sem recursos ou com recursos limitados.

    Art. 38. O prêmio será pago, uma única vez, no valor fixo de R$ 100.000,00 (cem mil reais) ao jogador. (Produção de efeito)

    Art. 40. Compete ao Ministério do Esporte proceder ao pagamento do prêmio. (Produção de efeito)

    Art. 41. O prêmio de que trata esta Lei não é sujeito ao pagamento de Imposto de Renda ou contribuição previdenciária. (Produção de efeito)

    Art. 42. O auxílio especial mensal será pago para completar a renda mensal do beneficiário até que seja atingido o valor máximo do salário de benefício do Regime Geral de Previdência Social. (Produção de efeito)

    Parágrafo único. Para fins do disposto no caput , considera-se renda mensal 1/12 (um doze avos) do valor total de rendimentos tributáveis, sujeitos a tributação exclusiva ou definitiva, não tributáveis e isentos informados na respectiva Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física.

    Art. 47. As despesas decorrentes desta Lei correrão à conta do Tesouro Nacional. (Produção de efeito)

    Que bela lei :lolsuper: :lolsuper: :lolsuper: :lolsuper: :lolsuper: :lolsuper: E nao sei se é 23k não. Aí fala limite do INSS, logo, 5k e alguma coisa.

     Explorador
  •  3325 posts
  •  

    Avatar do usuário

    o que mudou a minha visão do esporte foi aquele blog do pobreta.

    vc jovem, beta, pobre tem que trabalhar duro, pagar imposto pros alfas comerem todo mundo na vila olímpica. é a maior humilação de corno

    que venda pizza fera dane-se.

     Mortal Kombat
  •  24409 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Mucamo escreveu:
    Mortal Kombat escreveu: Não relacionado com atleta olímpico, mas sim com a seleção brasileira.

    Eu tenho um vizinho que era metido com futebol que chamou meu pai para ir no aniversário dele na semana passada e lá estava dois campeões mundiais de 70 (Marco Antônio e o Britto) e eles comentaram que ganham cerca de 23k da CBF e que esse salário é graças uma lei que o Lula aprovou.
    Lei geral da copa
    http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_a ... l12663.htm

    Art. 37. É concedido aos jogadores, titulares ou reservas das seleções brasileiras campeãs das copas mundiais masculinas da FIFA nos anos de 1958, 1962 e 1970: (Produção de efeito)

    I - prêmio em dinheiro; e

    II - auxílio especial mensal para jogadores sem recursos ou com recursos limitados.

    Art. 38. O prêmio será pago, uma única vez, no valor fixo de R$ 100.000,00 (cem mil reais) ao jogador. (Produção de efeito)

    Art. 40. Compete ao Ministério do Esporte proceder ao pagamento do prêmio. (Produção de efeito)

    Art. 41. O prêmio de que trata esta Lei não é sujeito ao pagamento de Imposto de Renda ou contribuição previdenciária. (Produção de efeito)

    Art. 42. O auxílio especial mensal será pago para completar a renda mensal do beneficiário até que seja atingido o valor máximo do salário de benefício do Regime Geral de Previdência Social. (Produção de efeito)

    Parágrafo único. Para fins do disposto no caput , considera-se renda mensal 1/12 (um doze avos) do valor total de rendimentos tributáveis, sujeitos a tributação exclusiva ou definitiva, não tributáveis e isentos informados na respectiva Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física.

    Art. 47. As despesas decorrentes desta Lei correrão à conta do Tesouro Nacional. (Produção de efeito)

    Que bela lei :lolsuper: :lolsuper: :lolsuper: :lolsuper: :lolsuper: :lolsuper: E nao sei se é 23k não. Aí fala limite do INSS, logo, 5k e alguma coisa.
    Então, também não acredito nesse valor e quem falou na verdade nem foram eles e sim meu vizinho para o meu pai.

    Ele comentou desse valor por que ambos são um puta pudim de cachaça e andam como qualquer cachaceiro na rua.

     .Kiko.
  •  36847 posts
  •  

    Avatar do usuário

    O Brasil é um papagaio que matamos a cada dia
    Por Mario Sabino
    13.04.21 17:40



    São assustadores os resultados da pesquisa sobre insegurança alimentar conduzida pela Universidade de Berlim, em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais e a Universidade de Brasília. Insegurança alimentar é um eufemismo para fome. Há fome em vários graus, mas sempre será fome.

    De acordo com a pesquisa, em 6 de cada 10 domicílios brasileiros existe alguma dificuldade para a obtenção de alimentos. Esse problema ocorre principalmente no Nordeste, onde essa proporção sobe para 7 em cada 10 domicílios.

    Quando se disseca os números gerais, a insegurança é relatada como leve em 32% das casas, moderada em 13% e grave em 15%. Grave é fome total, aquele buraco que se abre no estômago e engole todos os pensamentos e sentimentos, mas mesmo na moderada ou leve é um fantasma que deve atormentar o tempo inteiro.

    Os brasileiros também estão comendo menos e pior. Houve queda superior a 40% no consumo de carnes e frutas e de 37% no consumos de verduras e legumes. A pesquisa mostra ainda que em 63% dos domicílios o auxílio emergencial serviu para comprar comida. Comida da mais básica, que enche barriga, mas não alma.

    Renata Motta, professora de sociologia na Universidade Livre de Berlim e integrante da equipe que realizou a pesquisa, resume: “O aumento ainda maior da insegurança alimentar, bem como a redução drástica no consumo regular de alimentos saudáveis, eram esperados por múltiplos fatores, de ordem econômica e política. Os efeitos da desaceleração da economia desde 2015 não foram, como quando houve a queda do PIB com a crise financeira mundial de 2008, mediados por políticas sociais anticíclicas de garantia da renda. A pandemia veio neste caldo e tornou ainda mais visíveis as consequências das escolhas políticas recentes do País.”

    Sem dúvida, os amortecedores sociais são essenciais, em especial num momento de emergência como este, mas o fato incontornável é que, apesar de todas as mistificações em torno de governantes e partidos políticos, ainda há fome no Brasil e a sua erradicação para sempre nunca foi prioridade oficial. Se ela diminuiu ao longo dos últimos 100 anos, foi por obra quase que exclusiva dos milhões de cidadãos desesperados que saíram das suas regiões para buscar oportunidades em outras e das iniciativas beneméritas de caráter privado.

    Governo erradica fome não apenas com políticas assistenciais. No mais das vezes, aliás, ela é apenas moeda de troca eleitoreira que tende a perpetuar a emergência. Governo erradica fome promovendo educação de boa qualidade, formação profissional e estimulando a criação de empresas e, consequentemente, de empregos. No Brasil, não se faz nada disso. Os governos servem a si próprios, aos amigos e aos amigos dos amigos. Quando tivemos ambientes econômicos favoráveis para a virada histórica, eles se dedicaram a endividar gente pobre, por meio de crédito farto e caro, além de iludir os seus rebentos com o ingresso em faculdades de meia tigela. A tigela nenhuma, no Brasil, é exatamente isto: fruto de governos de meia tigela.

    A pandemia só tornou a nossa tragédia preexistente ainda mais visível, como disse a professa da Universidade Livre de Berlim. É vergonhoso e revoltante que ainda haja brasileiros com fome, muitos dos quais vivendo como a família de retirantes nordestinos de Vidas Secas, o clássico de Graciliano Ramos, Só que, agora, não há mais lugar do qual retirar-se.

    No romance publicado em 1938, Graciliano Ramos descreveu a fome numa cena que julgo das mais pungentes que já li: “Ainda na véspera eram seis viventes, contando com o papagaio. Coitado, morrera na areia do rio, onde haviam descansado, à beira de uma poça: a fome apertara demais os retirantes e por ali não existia sinal de comida. (A cachorra) Baleia jantara os pés, a cabeça, os ossos do amigo, e não guardara lembrança disto. Agora, enquanto parava, dirigia as pupilas brilhantes aos objetos familiares, estranhava não ver sobre o baú de folha a gaiola pequena onde a ave se equilibrava mal. Fabiano também às vezes sentia falta dela, mas logo a recordação chegava. Tinha andado a procurar raízes, à toa: o resto de farinha acabara, não se ouvia um berro de rês perdida na catinga. Sinha Vitória, queimando o assento no chão, as mãos cruzadas segurando os joelhos ossudos, pensava em acontecimentos antigos que não se relacionavam: festas de casamento, vaquejadas, novenas, tudo numa confusão. Despertara-o um grito áspero, vira de perto a realidade e o papagaio, que andava furioso, com os pés apatetados, numa atitude ridícula. Resolvera de supetão aproveitá-lo como alimento e justificara-se declarando a si mesma que ele era mudo e inútil. Não podia deixar de ser mudo. Ordinariamente a família falava pouco.”

    Graciliano Ramos foi pungente e exato há 83 anos. O Brasil continua a ser um papagaio que matamos a cada dia, para tentar saciar uma fome infinita.
    .

     Belic
  •  6566 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Provavelmente será bem maior que isso

    MENSAGENS RECENTES

    CNN Brasil

    Que cena lamentável Comentarista comenta A[…]

    dei uma jogadinha aqui parei pouco depois da marat[…]

    BBB21 - Acabou galere

    pobre rlim n ta suportando o fim do programa

    https://www.instagram.com/p/COjLL_QFJfx/?igshid=1f[…]



    O melhor conteúdo: seguro, estável e de fácil manutenção, desde 2012